terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Feliz Natal

S.Silvestre Santa Maria Maior






Resultados S. Silvestre Santa Maria Maior, 7.5 km
32º- Fernando Rodrigues, 29'06
155º- Tiago Rodrigues, 35'12
194º- José Moga, 37'17
315º- José Pereira, 41'49
332º- Filipe Ramalho, 42'51
351º- José Rebocho, 43'36

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

G.P. Natal e Trail Fluviario Mora

Mais um fim de semana em que estivemos muito activos:
 G.P. Natal é  uma referencia nas provas de Portugal mas continua a não encontrar a sua "praia" com muitos altos e baixos na sua organização, a associação de atletismo de Lisboa sempre carregou a sua organização como uma sua bandeira que este ano prometia ser muito grande porque os organizadores  encontrados pela associação carregam as meias das pontes como seu porta estandarte , logo prometiam um Grande Prémio Natal em grande com direito a transmissão televisiva em directo, camisolas técnicas de marca e com um custo nada generoso para os participantes.
Chegado o dia da prova os atletas depararam-se com uma partida tipo" todos ao molho e fé em Deus" e com uma separação única do pelotão para os atletas VIP e o mais grave uma entrega de prémios meio clandestina só para alguns verem e com muitos atletas a mostrarem o seu desagrado por ela decorrer "a porta fechada". A prova em si não trás nada de novo com a passagem por lugares comuns a tantas provas que decorrem na cidade de Lisboa e que terminam nos Restauradores. Uma pena.....
O Trail do Fluviário de Mora também os seus organizadores não estiveram a altura dos atletas.....prometeram 40 km de aventuras na verdade a prova só teve 35 km e por muito que tentassem dizer que o erro foi dos atletas logo no inicio da prova, não convenceram nenhum atleta porque TODOS fizeram a mesma distancia e o mais grave os atletas dos 15 km tinham as mesmas fitas para o seu percurso logo muitos fizeram 20 e mais kilometros, só erra quem organiza,  esperamos que ambas as organizações aprendam com os erros, porque a nós clubes e atletas só temos que fazer a escolha.!

Resultados G.P. Natal, 10 km
176º- João Inocêncio, 37'42
183º- Aurélio Aguiar, 38'01
428º- Leonel Neves, 41'56
497º- Luis Ferreira, 42'35
737º- João Bogalheiro, 44'52
866º- Armando Almeida, 46'11
884º- Nuno Bogalheiro, 46'09

clandestino- Fernando Rodrigues, 38'19

Resultados Trail Fluviário Mora,35 km
7° Joaquim Belo, 3h13'42 (1º escl)
18º- Hernâni Monteiro, 3h51'37 (2º escl)
21º- Fernando Silva, 4h01'51(3º escl)

22º- Andre Santos, 4h01'51

sábado, 12 de dezembro de 2015

resultados de 6 Dezembro

Depois de um dia de convívio, entre bifanas e imperiais e muitas guloseimas apresentamos a partida da meia maratona dos Descobrimentos em grande numero, estivemos todos ao nosso melhor nível e o numero de recorde pessoais foram numerosos e temos que acrescentar o pódio no nosso jovem veterano, Aurélio Aguiar.
No Norte ficamos bem representados nos trilhos por terras de Viana Castelo, Parabéns aos nossos amigos Sandra e Vitor.


Resultados da meia maratona dos Descobrimentos
16º- Luís Santos, 1h16'11

20º-João Inocêncio, 1h17'00
94º- Aurélio Aguiar, 1h24'03
97º- Fernando Rodrigues, 1h24'16
357º- André Santos, 1h31'46
460º- Leonel Neves, 1h34'07
659º- João Saldanha, 1h36'47
918º- Nuno Bogalheiro, 1h42'04
919º- Armando Almeida, 1h41'07
933º- Fernando Silva, 1h42'27
1125º- Paulo Barbeito, 1h44' 24                                                     1162º- António Fernandes, 1h43'31
1375º- Sandra Baptista, 1h48'25                                                 1376º- Hernâni Silva, 1h47'27
1760º- Luís Lisboa, 1h52'30


Resultados IV Trail S. Silvestre, 25 KM, Viana Castelo
346º- Vitor Costa, 3h57'23
347º- Sandra Costa, 3h57'23


terça-feira, 1 de dezembro de 2015

15 km Benavente e Trail Barrancos

15 Km de Benavente Foi um dia em cheio Com muita inspiração pelo meio. Os 15 km de Benavente 2015, Vão ficar na história e na memória Dos Amigos Vale Silêncio, Indubitavelmente. Dos sete Amigos que participaram Na prova, seis tiveram Direito a pódio. Um feito tal só acontece De cem em cem anos, Por isso é motivo de regozijo geral. Coletivamente, Um honroso sexto lugar Faz inveja a grandes equipas Que ficaram atrás. Paulo Póvoa – 22º (2º M50) – 56m 37s Aurélio Aguiar – 30º (1º M60) – 59m 04s Leonel Neves – 52º (2º M60) – 1h 04m 44s Fernando Silva – 90º (7º M50) – 1h 12m 07s António Fernandes – 96º (2º M55) – 1h 14m 06s Sandra Baptista – 103º (1ª M35) – 1h 14m 49s José Moga- 1h17'32
José Pereira – 136º (2º M65) – 1h 22m 32s


6º Lugar por equipas


Resultados Trail Fronteiriço Barrancos, 25 km
24º- Osvaldo Rodrigues, 2h19'55
46º- Nuno Bogalheiro,2h 32' 57

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Resultados do fim semana(21 e 22 Novembro)

Resultados 4ª Corrida D.Dinis, 10 km
13º- João Inocêncio, 36'12
119º- António Fernandes, 46'54
170º- José Moga, 50'27

Resultados Meia maratona Évora
31º- Luis Santos, 1h19'48
65º- Fernando Rodrigues, 1h27'11
315º- João Saldanha, 1h41'27
369º- Fernando Avelino, 1h44'02
419º- Armando Almeida, 1h46'17
517º- Hernâni Gaspar, 1h50'24


Resultados Ultra Trail Amigos da Montanha, 68 km
120º- Vitor Pinto, 10h24'51


Resultados G.P. Arrabida, 12,5 km
120º- João Bogalheiro, 1h03'25
147º- Nuno Bogalheiro, 1h04'43






sábado, 14 de novembro de 2015

Maratona Porto

A minha (nossa) Maratona
Porto
2015 – 11 – 08

Em Novembro de 2014, aquando da prova de 16 kms (Family Race) incorporada no programa da Maratona do Porto de 2014, e apesar das dores que me assolaram durante os três primeiros kms, começou a crescer em mim uma vontade de no ano seguinte não subir a avenida da Boavista logo aos 15 kms, mas sim continuar pela direita e prolongar a minha corrida para a famosa e dura Maratona.

Desde essa data que mentalmente me tenho preparado para essa tarefa, estudando vezes sem conta o percurso na minha cabeça. Delineei um plano de treino ambicioso e duro que me preparasse de modo conveniente.
No início esta aventura seria solitária, tentando angariar, companheiros que me ajudassem em algumas partes do percurso. Seria muito mais agradável correr acompanhado de alguém conhecido do que sozinho.
Logo de seguida surgiu na minha caminhada um grupo de amigos, de Lisboa, os AMIGOS VALE SILÊNCIO, que me acolheram no seu seio, e me tornaram num amigo deles... E a partir daí, tudo mudou… Tinha a certeza que não me faltaria apoio moral, nem técnico (caso fosse necessário) porque os amigos estão cá para tudo…
Passado umas semanas, a minha companheira de treinos (a minha irmã) decidiu-se em participar também, pois se treinávamos juntos, porque não fazermos os 42.195 metros também juntos.
E “partimos” para muitos e muitos treinos, muitos e muitos quilómetros nas pernas, muitas dores, muito sofrimento, muitas cedências (Tantas francesinhas deixei eu de comer!!!) e sempre a consolação de estarmos cada vez mais perto do objectivo…
Na véspera da Maratona, conhecemos finalmente alguns dos nossos Amigos Vale Silêncio, que iriam fazer a Maratona (Já tínhamos conhecido dois na Régua) e o acolhimento foi de amigos que já não se viam há anos, mas que continuavam a darem-se muito bem… Não nos conhecíamos pessoalmente mas parecia que nos tínhamos visto no dia anterior. Malta porreira…
No dia da Maratona, eu e a Sandra, chegamos mais cedo ao recinto e relembramos a táctica de corrida… E essa táctica era muito fácil… Correr os primeiros 15 kms com calma, não nos deixando entusiasmar pelas pessoas da Family Race e partir depois para o treino de 4 semanas antes. Sim porque o treino longo de 32 kms foi efectuado no percurso da prova e essa parte seria encarada como mais um treino… Depois tínhamos combinado desde o início que, acontecesse o que acontecesse, a prova seria para acabar a dois, e nenhum dos dois ficaria para trás…
O nervosismo crescia consoante o tempo para o início da prova diminuía…
Eis que se dá a partida… No meio de tanta gente, trocamos olhares e não nos desejamos boa sorte, nem nada do género… Apenas dissemos um até já àquele chão que pretendíamos pisar 5 horas depois.
Partimos com calma, a Sandra com um belo sorriso e eu com os meus famosos adesivos azuis nos joelhos…
Passados 3 kms reparei que tinha cometido um erro de principiante (o primeiro). “Não mudar nada de nada ao que já estamos habituados”. E o que é que eu mudei??? A marca das fitas de Kinésio… Os meus adesivos que deveriam durar 48 horas colados sem sair do sítio estavam a descolar 15 minutos após a partida. Resultado? Tive de tomar a decisão de os retirar e arriscar uma dor de joelhos… Então, o momento caricato da nossa prova… Decido ir até ao passeio para retirar os adesivos, subo o passeio, não reparo num buraco, tropeço, e entre o cai, não cai, “decidi” cair… Esfolei o cotovelo e a palma da mão…
Mas isso só nos fez rir, pois, voltando ao treino longo, a Sandra teve um momento destes na Afurada, mas conseguiu manter-se de pé (Chamamos-lhe o momento Matrix) e no mesmo treino, ao incentivar a Sandra nos últimos metros não vi uma rampa e estatelei-me no alcatrão. Tínhamos prometido refazer as cenas no final da prova, mas eu tratei logo do assunto aos 4 kms.
Depois da queda tudo se desenrolou bem e chegados aos 14 kms, dá-se a separação da Family Race e da Maratona… Foi talvez o momento mais emocionante que tive durante a prova… Naquele momento deixaria de ser um corredor qualquer para ser Maratonista…
A partir desse momento seguia-se o treino…
Aos 20 kms decido parar para ir à casa de banho… Fico parado à espera que uma das duas casas de banho ficasse livre e durante 3 a 4 minutos esperei pensando em ir-me embora… A Sandra tinha continuado… Lá ficou uma livre e depois de “mudar a água às azeitonas” reparti tentando alcançar a Sandra, e aí dá-se o segundo erro… Feitos 20 kms a um ritmo mais calmo, decido tentar apanhar a Sandra ao meu ritmo e sem os meus adesivos, o joelho esquerdo, com o esforço, decidiu dar ar de si e iniciou-se uma dor crescente…
Mas continuei a correr.
Ao passar pela ponte D. Luís, tivemos o precioso apoio de uns primos. Retemperou-nos bastante e seguimos em direcção a Afurada. Por essa altura, cruzámo-nos com o Armando Almeida que tinha desistido… Chegados à Afurada, a Sandra cedeu-me a sua joelheira para ver se eu aguentava mais um pouco. Aliviei a dor, mas o percurso de volta foi feito em corrida mais lenta e por vezes a passo. Devagar, devagarinho, lá fizemos os 12 kms finais, mais com o coração do que com as pernas. Tivemos um excelente apoio do movimento criado pelo Ricardo Bomtempo que criaram um ambiente fantástico para se poder terminar a prova.
A 2 kms do fim, já não havia nada a fazer… íamos acabar a Maratona e quer eu como a Sandra seríamos Maratonistas…
5 horas e 23 minutos após a partida, lá chegamos à meta, com os nossos familiares à nossa espera com um sorriso enorme e dois sacos de gelo…

Éramos MARATONISTAS…

Após abraços e beijinhos, medalha e T-shirt Finisher, sentámo-nos e fizemos o balanço da nossa Maratona.

A Maratona não é o bicho papão de que se fala. Quando há treino, é realizável.

Não vimos o famoso Muro… Acho que se escondeu à nossa passagem… Mais uma vez o treino ajuda.

A Maratona feita com companhia e encarada como um treino, sem preocupação de tempos é uma prova bonita…

Quando numa prova dessas se diz que não se deve mudar qualquer hábito, quer dizer mesmo… NÃO MUDAR NADA…


Termino agora com os agradecimentos:
Em primeiro lugar às duas pessoas mais importantes da minha vida: a minha Esposa que fez anos no dia da Maratona e a minha filha que me encantou com o seu carinho à chegada;
À minha irmã que partilhou muitos treinos comigo e que apesar de a ter “levado ao colo” em tantos treinos acabou por me “levar ao colo” durante a prova;
Aos meus AMIGOS VALE SILÊNCIO pelo apoio e simpatia que demonstraram;
Ao meu pai pela ajuda nos treinos longos, ao fazer de aguadeiro;
A minha mãe, pelos comentários sempre incentivadores nas nossas fotos no facebook;
Ao meu irmão pela preparação física que me forneceu;
Ao meu primo Toninho e família por terem estado na ponte D. Luís a aplaudir-nos;
Ao Sr. Jorge Querales que foi o nosso motivador ao vermos a reportagem sobre a Maratona de 2014 (Foi o último em 2014, mas foi grande em acabar a prova) e com o qual dividimos os últimos 20 kms este ano… Foi o único atleta com quem mantive uma conversa mais longa em amena cavaqueira…
E por fim ao Bitó… mais precisamente à música do Bitó… que não tive de cantar para animar a Sandra…

Voltarei a correr uma Maratona???
Talvez não… mas também, há 3 anos atrás, não pensava correr esta… O futuro dirá…
Agora venham de lá os Trilhos…

Boas Corridas
Vitor Costa

Resultados da Corrida Farmacêutico , ultra Trail de Grandola e Trail Nisa

Resultados Trail vila Nisa, 30 km
12°-Vitor Pinto, 3h47'36


Resultados Ultra Trail Grândola, 50 km.
16º- Joaquim Belo, 6h30'30
25º- Fernando Silva, 7h52'25
26º- André Santos, 7h52'25

1º Lugar por equipas







Corrida Farmacêutico, 10 km
Classificação geral e tempos:
Aurélio Aguiar – 37º (1º esc.) – 37m 59s
Leonel Neves – 74º (3º esc.) – 41m 16s
João Bogalheiro – 116º - 43m 17s
Nuno Bogalheiro – 134º - 43m 59s
António Fernandes – 177º 45m 58s
Hernâni Silva – 209º - 47m 19s
Sandra Baptista – 249º - 49m 15s
José Moga – 250º - 49m 16s

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

"Desde a foto tirada na nossa oficina até ao Porto levem-nos convosco com a certeza de que o nosso pensamento estará sempre ao vosso lado."

"Creio que correspondendo ao sentimento de todos os amigos do Vale do Silêncio gostaria de fazer uma pequena viagem no imaginário do que vai ser a vossa participação nesta 12ª edição da Maratona do Porto e que representará para vós uma estreia naquela que é sem dúvida a melhor Maratona que se poderá correr em Portugal. Não terão este ano a longa descida da Avenida da Boavista até à Foz, terão isso sim um espectacular percurso inicial que vos levará a Matosinhos e voltar levando-os a visitar os bonitos estaleiros percorrendo as bonitas avenidas que lhe servem de vizinhança, a meia maratona da prova vai fazer-vos companhia já muito perto da Baixa do Porto, isto é a Ribeira, em boa hora a organização retirou do percurso descendente a passagem pelo sombrio túnel da Ribeiro e leva-nos ali junto a zona histórica da Baixa onde vos será concedido um metro de passagem pelo meio dos feirantes numa algazarra que nos faz esquecer que estamos a fazer uma Maratona em corrida, a parte menos atraente da prova é depois da passagem da Ponte D. luís para Gaia, é ir à Afurada e voltar, são 9 kms cheios de interesse que se forem bem aproveitados pela vossa visão aquilo passa num instante, verão as caves do Vinho do Porto os barcos ancorados que lhes dão vida, com um pouco de sorte verão as varinas na Vila piscatória da Afurada e toda a extensão do Rio Douro nas suas margens Sul e Norte, podem levar umas moedinhas porque bares por ali não faltam, se perderem por ali alguns minutos depressa recuperarão desde que atestem bem , mas sempre sem exageros. Por volta dos 32 kms deixarão de novo a Ponte D. Luís para trás, espera-vos uma ida até perto da Ponte dos Freixo com retorno desta vez para uma passagem pelo Túnel da Ribeira, aproveitem que por norma além de sombrio é também muito fresco e servirá para recuperar algumas energias, é ligeiramente a subir e se o fizerem a andar logo recuperarão nos kms que se seguirão. O Parque da Cidade é a meta mas atenção àquela parte final, últimos 4 kms, empedrado, ligeiras subidas, algumas mais prolongadas, a recepção será fantástica, a Avenida final parecerá nunca mais acabar, é ali que é preciso manter a chama bem acesa da glória de acabar mais uma Maratona, um, dois, são os pórticos a cruzar antes de atingir a passadeira vermelha que estará ali logo ao virar da esquina, a linha de chegada será o culminar de mais um objectivo duramente conseguido ao longo dos últimos meses e para comemorar não se esqueçam que para além da passadeira vermelha existirá há vossa espera aquela vitamina lourinha do agrado de todos e que não devem ignorar. Daqui que faço todo o gosto de vos acompanhar nesta virtual participação a vosso lado reservo-me o direito de naquela parte final vos dirigir uma saúde pela vossa participação e pela vossa vitória, Os Amigos do Vale do Silêncio estarão convosco e acompanhá-los-ão em pensamento desejando que tudo vos corra pelo melhor, com um abraço dos fortes recebam a nossa força.

 

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Resultados Trail Nocturno Bucelas
4º- Paulo Póvoa, 1h06'26
10º- Vitor Pinto, 1h11'52
20º- Luis Lopes, 1h14'54
78º- Nuno Bogalheiro, 1h30'26
79º- João Bogalheiro, 1h30'27
Participaram na caminhada:
Susana Pinto e a família Bogalheiro a saber: Beatriz, Manuela , Sandra e Daniel 

Resultados da corrida Luzia Dias,
178°-Antonio Fernandes, 47'47
191°- José machado, 48'26

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Atividade do fim de semana

Trinta, Amigos Vale Silêncio, no fim de semana próximo passado,
estiveram presentes em quatro provas desportivas, assim distribuídos: Corrida
do Centenário Janz, realizada no sábado no Vale Fundão - Marvila, oito atletas,
seis dos quais na corrida e dois na caminhada; Corrida Montepio, realizada
no domingo em Lisboa, onze atletas; Vinte quilómetros de Almeirim, também
realizada no domingo, dez atletas e na Belgica " 20 km Ardennes" prova de trail.
Os resultados foram os seguintes:

Corrida do Centenário Janz:

Femininos:
Veteranos 3 – 3º lugar – Sandra Baptista, 2 km, 10'39

Masculinos:
Juvenis – 2º lugar – Tiago Rodrigues, 5 km,29'01
Veteranos 3 – 2º lugar – Fernando Rodrigues, 5 km, 27'12
Veteranos 4-5º lugar- Hernani Silva, 5km, 27'12
Ricardo Batista, 2 km, 10'39
Lereno Batista, 2km,10'39
Participaram Caminhada:
Ana Rodrigues
Sofia Gaspar

Não houve classificação geral nem por equipas

Corrida Montepio:

João Inocêncio – 41º - 35m 58s
Fernando Rodrigues – 71º - 37m 31s
João Saldanha – 604º - 44m 46s
Hernâni Gaspar – 1014º - 47m 40s
Tiago Silva – 1271º - 47m 24s
Ricardo Gaspar – 1272º - 47m 25s
Tiago Rodrigues – 1179º - 47m 48s
José Moga – 1597º - 51m 00s
José Pereira – 2200º - 53m 30s
António Silva – 3504º - 59m 37s
Fernando Silva – 3952º 59m 37s

20 Km de Almeirim :

Luís Santos – 16º - 1h 13m17s
Paulo Póvoa – 41º - 1h 18m 21s
Leonel Neves – 168º - 1h 27m 41s
Vítor Pinto – 246º - 1h 30m 25s
João Bogalheiro – 302º - 1h 33m 00s
Fernando Avelino – 418º - 1h37m 54s
Nuno Bogalheiro – 473º - 1h 40m 04s
António Fernandes – 538º - 1h 43m 24s
André Santos – 539º - 1h 43m 24s
Sandra Baptista – 571º - 1h 45m 24s

Por equipas: 16ª em 57 equipas

20 km Ardennes, Bélgica

320º- Ricardo Pereira, 1h51'13  

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Maratona Lisboa

Um grupo de amigos, unido pela amizade, pelo convívio e pelo gosto da corrida, decidiu
participar na maratona de Lisboa, a realizar no dia dezoito de outubro de dois mil e quinze.
A decisão foi tomada individualmente depois de ponderada a hipótese em germinação
durante muito tempo e comunicada ao mister Fernando para efeitos de inscrição e elaboração
dos respetivos planos de treino.
Com os planos de treino na mão, cada um tentou cumpri-lo à risca, mas nem sempre foi
possível. Ou porque o periquito estava excitado, ou porque a gata andava com o cio, ou
porque chovia que deus a dava, tudo desculpas aceitáveis. Claro que o mister não sabia.
Aos domingos se não houvesse prova juntavam-se no Parque das Nações para o treino
longo. Foram três meses mais ou menos a treinar no duro para estar na melhor forma possível
no dia da prova.
O dia tão esperado, com mais ou menos ansiedade dos atletas, chegou finalmente. A
madrugada apresentou-se molhada, e o vento esteve presente, ainda bem quando batia nas
costas, mal quando batia de frente, durante a prova. Mais valia que não tivesse saído dos seus
aposentos.
À hora combinada, seis e meia da matina, alguns amigos encontraram-se ao pé da Gare
do Oriente, de onde seguiram para o local da partida, situada na linda cidade de Cascais;
outros foram lá ter diretamente.

O João, o Nuno e o André eram estreantes na distância; a Sandra corria a maratona pela
segunda vez; o Luís preparava-se para a sua terceira; o Filipe arrecadara meia dúzia, o Joaquim
já cortara a meta sete vezes e o Leonel passava da dúzia.
Todos chegaram ao fim com pouca diferença de tempo. Alguns satisfeitos com os
resultados, outros nem tanto. Houve contratempos de ordem física que puseram em causa
certos objetivos estabelecidos em devido tempo. Refira-se para exemplo as cãibras que
acometeram o André desde o quilómetro vinte e sete até à meta. Grande sofrimento que só
um espírito determinado a vencer a maratona suportaria a dor provocada pelos espasmos
intensos e constantes.

Os Amigos Vale Silêncio estavam agora mais ricos, contavam com mais três
maratonistas.

Concluíram a maratona, ganha pelo queniano Asbel Kipsang, com o tempo de
2h09m26s, três mil oitocentos e catorze corredores.

Os Amigos Vale Silêncio obtiveram a seguinte classificação e tempos:

1238º-Nuno Bogalheiro, 3h52'52
1239º-João Bogalheiro, 3h52'52
1560º- Leonel Neves, 3h59'19
1562º- André Santos, 3h59'19
1630º - Filipe Ramalho – 4h00m23s
1784º - Sandra Baptista – 4h04m49s
2084º - Joaquim Gomes – 4h24m18s
2969º - Luís Lisboa – 4h37m57s

Resultados da Meia Maratona Lisboa
59°-Luis Santos, 1h19'26"
4306º- José Rebocho, 2h12'37
Mini Maratona, Patrícia Rebocho e Helena Gonçalves

Resultados da meia maratona Ovar
1772º-Sandra Costa, 2h09'38
1773º-Vítor Costa, 2h09,37

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Mensagem de apoio a todos maratonistas

Rock’n’Roll Maratona de Lisboa edp - 2015

 Uma maratona, prova rainha do atletismo, não é nenhum bicho de sete cabeças, mas
também não é nenhum gelado que se saboreia numa esplanada à beira-mar. Qualquer atleta,
minimamente preparado física e psicologicamente, consegue correr os quarenta e dois mil
cento e noventa e cinco metros. Isto se for só para chegar ao fim como é evidente. Conforme
os objectivos de cada um assim terão de ser os treinos, mais ou menos exigentes. Como é bom
de ver, não é a mesma coisa treinar para um tempo que ronde as três horas ou as três e meia.
Os treinos têm de ser forçosamente diferentes na intensidade e na duração.
Quem anda nestas lides do atletismo mais cedo ou mais tarde resolve fazer uma
maratona. A tomada de decisão é o primeiro passo importante para a sua realização. Depois
estabelece um objetivo, mentaliza-se, segue à risca um plano de treinos para ter êxito, tem
alguma preocupação com a alimentação, reza para que não apareçam lesões e espera, mais ou
menos ansioso, que chegue o grande dia.
Pode acontecer que um atleta esteja bem preparado e no dia da corrida o desempenho
não ser o esperado. O organismo não reage sempre da mesma maneira. Se isso acontecer, o
corredor não deve desanimar, pois há mais marés que marinheiros.
Já fiz mais de uma dezena de maratonas, todas iguais, todas diferentes, com graus de
dificuldade diversos, não obstante os percursos serem idênticos. Não tem, portanto, a ver com
o percurso, mas sim com fatores intrínsecos, designadamente o estado de espírito e a
resiliência do organismo. Nalgumas fui a passo, noutras tive cãibras, noutras corri do início até
ao fim sem problemas. Os tempos também variaram logicamente. Quem se mete a fazer uma
maratona tem de estar preparado mentalmente para tudo ou corre o risco de sofrer uma
grande desilusão e ficar traumatizado para sempre.
Os estreantes na distância, sobretudo estes, à medida que o dia se aproxima vão ficando
com o nervoso miudinho, que vai passando depois do tiro de partida. O receio de não
conseguir chegar ao fim apodera-se do atleta, o qual se dissipa a cada quilómetro que deixa
atrás de si. Quando corta a meta liberta-se de todos os receios e é invadido por uma felicidade
inexplicavelmente infinita, sentindo-se recompensado de todos os sacrifícios e sofrimento por
que eventualmente tenha passado.
O que acima é dito serve para qualquer maratona, inclusive para a Maratona de Lisboa
que está aí à porta, onde os Amigos Vale Silêncio participam com oito atletas, três dos quais
pela primeira vez.
Espera-se que o São Pedro traga bom tempo, sem chuva, sem calor, sem vento.

Os Amigos Vale Silêncio

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Entre Lampiões e Lagartos,
Unidos por laços de amizade,
Catorze, abaixo identificados,
Participaram na corrida do Clube de Alvalade,

Clube do coração para os leões
Que entoavam cânticos de glória,
Enquanto as águias, em seus corações,
Engrandeciam o Glorioso e sua história.

Mas a festa era do Sporting Clube de Portugal
E os Amigos Vale Silêncio quiseram fazer parte dela
Confraternizando com todos de igual para igual.
À espera estava um leão, na passarela,

O Luís, o campeão, a nossa estrela.
A seguir ao Luís, chegou
O Aurélio Aguiar que ficou
Em primeiro lugar no seu escalão,

Não sei se é águia ou leão,
Mas isso não é importante,
Importa sim que fez uma prova brilhante.

Com intervalos pequenos
Foram chegando os demais,
Cansados, mas de alegria plenos
Por mais uma prova a constar nos anais
Do clube e no currículo de cada um.

A única mulher maratonista
Dos Amigos Vale Silêncio, mesmo com os joelhos
A doer, leoa ferrenha, a Sandra Baptista,
Bateu-se heroicamente com os olhos

Postos na meta, por um resultado
Que espelha a garra
De leão assanhado.
Seguem-se os resultados:

Luís Santos – 54º - 37:03
Aurélio Aguiar – 127º (1º Esc.) – 39:47
Leonel Neves – 299º - 42:52
André Santos – 300º - 42:52
Joaquim Belo – 301º - 42:52
Fernando Avelino – 857º - 47:56
António Fernandes – 1072º - 49:14
João Bogalheiro – 1402º - 51:34
Nuno Bogalheiro – 1403º - 51:34
Hernâni Gaspar – 1404º - 51:34
Sandra Baptista – 1469º - 52:03
José Moga – 1470º - 52:04
José Pereira – 1752º - 53:57
José Rebocho – 2258º - 56:32

Resultados Meia Maratona da Moita
52- João Inocêncio, 1:23'00"
91- Paulo Povos, 1:27'41"
102- Fernando Rodrigues, 1:28'25"
283- Fernando Silva, 1:47'48
356- Armando Almeida, 1:56'43
15° por equipas

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Resultados do fim de semana 26 e 27 Setembro

Resultados 1° Trail Quinta Pinhão
13°-Osvaldo Rodrigues, 3:17'56
47°-Nuno Bogalheiro, 4:23'54


Resultados Global Energy, Lisboa
161°- João Bogalheiro, 45'04
162°- José Machado, 45'06

Resultados corrida Aeroporto
316°- António Fernandes, 49'54
411°- José Moga, 51'34
865°- José Rebocho, 1:02'25

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Resultados do Fim de semana( 20 Setembro)

Resultados Trail des Fées,Bertrix, 15 km
Ricardo Pereira, 1h33'33

Resultados da Corrida Medis, 10 km
58º- Aurélio Aguiar, 39'16
332º- José Machado, 47'20

Resultados Meia Maratona Porto
4569º- Vitor Costa, 2h21'13
4626º- Sandra Costa, 2h22'15

Meia Maratona de Setúbal
155º-Leonel Neves -  1h 41m 23s
239º-João Bogalheiro  - 1h 46m 52s
447º-Sandra Baptista –  2h 01m 42s

A nossa Participação na corrida S.E.M e na Caminhada
Corrida, 10 km, Fernando Avelino, 47'00
Caminhada,4 km, Gabriela Almeida, Paula Silva, Armando e Hernâni Silva.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Resultados de 12 e 13 Setembro

Resultados 8 km ribeirinhos, Moita
130- Hernâni Silva, 35'24
233- Luciano Tomás, 42'57

Resultados Meia Maratona S.João Lampas
14°- Hugo Adelino, 1:23'54
222°- João Bogalheiro, 1:45'40
349°- Nuno Bogalheiro, 1:54'36
560°- Luís Lisboa, 2:14'56
21º lugar por euipas em 42 presentes


Resultados Corrida do Tejo, 10 km
47º-João Inocêncio, 36'33
142º-Aurélio Aguiar, 39´39
162º-Fernando Rodrigues, 40'03
212º-Orlando Ramos,41'05
818º-João Bogalheiro,47'00
821º-Leonel Neves,46'13

1008º-Fernando Silva,48'05
1314º-Paulo Barbeito,49'08
1510º-José Machado,49'07
1546º-Nuno Bogalheiro, 50'23
1687º-Hernâni Silva,51'04
1689º-Sandra Batista,51'04
2710º-José Pereira,54'45
2927º-António Fernandes, 55'29
3001º-Tiago Rodrigues, 57'01

13º Lugar em equipas em 139 Presentes

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Fim de semana Louco

Deve haver poucos fins de semana com tantos organizadores interessados em expor as suas provas, se me é permitido... este atropelo só é possível porque nos falta uma entidade que organize e supervisione as provas que se vão realizando em Portugal, só no sábado duas grandes empresas organizaram  na zona de Lisboa a sua prova, "Decathlon" e "Jumbo".
Mas vamos ao que realmente nos interessa as participações "AVS", no sábado estivemos representados em 4 provas, Decathlon, Jumbo, Tagarro, e em Vila nova de Gaia, no domingo uma prova que marca o inicio de uma nova época, a corrida da "festa do avante", a organização continua a não levar qualquer cêntimo aos atletas e a manter no seio da sua estrutura o trabalho voluntário e  toda estrutura também ela com o espírito de servir e amador mas os atletas,"alguns" ainda não entenderam e pensão  que estão perante organizações profissionais e exigem com se tivessem pago 12 ou 14€ para correr o que o amadorismo não consegue disfarçar, continuamos a chegar atrasados ou mesmo em cima do hora da partida e muitas das vezes nem consultamos placares para saberem qual o seu dorsal e obrigam a organização a adiar a partida em cerca de 15 minutos e muitos ficam aborrecidos porque não tiveram tempo para "aquecer". Mas se a organização fosse mais madura havia muitos que nos ficavam a ver correr ou então iam a banhos na baía do Seixal.
A nossa participação foi a um bom nível 15 atletas e uma razoável classificação colectiva, valeu os bons momentos
Uma referencia para o António Fernandes e Joaquim Adelino mesmo em dia de aniversario não deixaram de estar presentes.
Os nossos parabéns para o Joaquim Belo pela sua participação no Ultra(50 Kms) dos templários

Ultra Trail dos Templários,50 km
8º- Joaquim Belo, 5h45'55(2º escalão)

Resultados de Gaya Legendary Trail, Vila nova Gaia, 14.5 km
30ª-Sandra Costa, 2h05
124º- Vitor Costa, 2h05

Resultados "Festa Avante", 10,4 km
26º Lugar por equipas em 124 presentes.
35º- Rui Pacheco, 37'12
36º- João Inocêncio, 37'14
266º- Daniel Pinto, 44'42
470º- Luís Lopes,48'16
692º- Júlio Roque, 51'32
807º- Andrè Santos,53'05
808º- Fernando Silva, 53'05
- Armando Almeida, 53'10
817º- António Fernandes, 53'20
818º- Hernâni Silva, 53'20
920º- Sandra Batista, 54'55
972º- José Pereira, 55'48
983º- José Moga, 55'54
1146º- Luciano Tomás, 59'03
1590º- Joaquim Adelino, 1h21'30



Resultados da Corrida Decathlon , 10 km
70º-Osvaldo Rodrigues, 43'23
110º- João Bogalheiro, 46'01
Corrida Jumbo, 10 km
10º-Luis Santos, 37'21
87º- Luis Ferreira, 44'04
136º- João Bogalheiro, 46'34
163º- Nuno Bogalheiro, 47'35

By night race, Jumbo
92º-Luis Ferreira, 1h59'43, 60.2 km

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Treino de Grupo No Vale Silencio, 22 Agosto

Depois do Treino, o sorriso disfarça as dores no corpo
Equipa de Luxo, 8h30  preparada para o treino

Amigos mostrem as vossas mulheres para que mais se juntem a nós






Tirem-nos daqui!!!!


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Começou a nova época desportiva

Treinos duros e muito calor, disfarçados pela boa companhia