quinta-feira, 5 de novembro de 2015

"Desde a foto tirada na nossa oficina até ao Porto levem-nos convosco com a certeza de que o nosso pensamento estará sempre ao vosso lado."

"Creio que correspondendo ao sentimento de todos os amigos do Vale do Silêncio gostaria de fazer uma pequena viagem no imaginário do que vai ser a vossa participação nesta 12ª edição da Maratona do Porto e que representará para vós uma estreia naquela que é sem dúvida a melhor Maratona que se poderá correr em Portugal. Não terão este ano a longa descida da Avenida da Boavista até à Foz, terão isso sim um espectacular percurso inicial que vos levará a Matosinhos e voltar levando-os a visitar os bonitos estaleiros percorrendo as bonitas avenidas que lhe servem de vizinhança, a meia maratona da prova vai fazer-vos companhia já muito perto da Baixa do Porto, isto é a Ribeira, em boa hora a organização retirou do percurso descendente a passagem pelo sombrio túnel da Ribeiro e leva-nos ali junto a zona histórica da Baixa onde vos será concedido um metro de passagem pelo meio dos feirantes numa algazarra que nos faz esquecer que estamos a fazer uma Maratona em corrida, a parte menos atraente da prova é depois da passagem da Ponte D. luís para Gaia, é ir à Afurada e voltar, são 9 kms cheios de interesse que se forem bem aproveitados pela vossa visão aquilo passa num instante, verão as caves do Vinho do Porto os barcos ancorados que lhes dão vida, com um pouco de sorte verão as varinas na Vila piscatória da Afurada e toda a extensão do Rio Douro nas suas margens Sul e Norte, podem levar umas moedinhas porque bares por ali não faltam, se perderem por ali alguns minutos depressa recuperarão desde que atestem bem , mas sempre sem exageros. Por volta dos 32 kms deixarão de novo a Ponte D. Luís para trás, espera-vos uma ida até perto da Ponte dos Freixo com retorno desta vez para uma passagem pelo Túnel da Ribeira, aproveitem que por norma além de sombrio é também muito fresco e servirá para recuperar algumas energias, é ligeiramente a subir e se o fizerem a andar logo recuperarão nos kms que se seguirão. O Parque da Cidade é a meta mas atenção àquela parte final, últimos 4 kms, empedrado, ligeiras subidas, algumas mais prolongadas, a recepção será fantástica, a Avenida final parecerá nunca mais acabar, é ali que é preciso manter a chama bem acesa da glória de acabar mais uma Maratona, um, dois, são os pórticos a cruzar antes de atingir a passadeira vermelha que estará ali logo ao virar da esquina, a linha de chegada será o culminar de mais um objectivo duramente conseguido ao longo dos últimos meses e para comemorar não se esqueçam que para além da passadeira vermelha existirá há vossa espera aquela vitamina lourinha do agrado de todos e que não devem ignorar. Daqui que faço todo o gosto de vos acompanhar nesta virtual participação a vosso lado reservo-me o direito de naquela parte final vos dirigir uma saúde pela vossa participação e pela vossa vitória, Os Amigos do Vale do Silêncio estarão convosco e acompanhá-los-ão em pensamento desejando que tudo vos corra pelo melhor, com um abraço dos fortes recebam a nossa força.

 

3 comentários:

AV Silencio disse...

"Uma vez amigo, amigo para sempre"
No Porto ou em qualquer lugar do mundo nunca estamos sozinhos, há sempre um AVS que pensa em nós,

Impressões disse...

Amigos que ides ao Porto fazer a maratona, que tudo vos corra como planeastes; que o esforço dispensado nos treinos e na prova seja recompensado com a chegada à meta. Estou certo que vai ser um êxito. Como diz o amigo Joaquim Adelino no belíssimo texto, os Amigos Vale Silêncio vão estar a torcer por vós desde a partida até à chegada. Força amigos! Abraços.
Leonel

Armando Almeida disse...

Obrigado amigo Adelino mas o grande apoio era termos o amigo na partida pois como sabes todos te temos como referência,rápido regresso às corridas um grande abraço e obrigado pela motivação.