segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

4ª Corrida São Domingos de Benfica

Podiam ter aproveitado a manhã de domingo, 16 de Janeiro, apesar de cinzenta, para passear à beira mar; sentir a brisa suave, refrescante, ou o vento marulheiro; interrogar os céus e os mares sobre os mistérios que albergam; observar as gaivotas sobrevoando as águas calmas ou agitadas, olhar rapinante, perscrutador, agitando as asas, planando suavemente como uma pena, deixando-se cair como um peso morto se vislumbram algo comestível; contemplar a imensidão das águas, essa auto-estrada do conhecimento, da descoberta de novos mundos, inaugurada por portugueses valentes, intrépidos, depois de outros navegantes mais antigos, sim, com certeza; imaginar o que essas águas escondem nas profundezas, restos de navios naufragados, tesouros, vidas perdidas de marinheiros, pescadores, aventureiros, mas também montanhas de corais belíssimas, peixes de várias espécies, cores e tamanhos, um mundo maravilhoso; recordar os Gamas, os Cabrais, os Henriques, as especiarias, o ouro, o apogeu, o Camões com os Lusíadas nos dentes.
Podiam ter decidido tomar um café com um amigo numa esplanada da Baixa Pombalina; divagar sobre política, religião, cinema, literatura, indigência social, desemprego, ricos, pobres; comentar a lavagem de roupa suja dos políticos na Assembleia da Republica e na campanha presidencial, uma vergonha!; falar sobre os malefícios do tabaco, da droga, do álcool; dissertar sobre a prostituição, a infidelidade conjugal; elogiar aquele torrãozinho que mora no primeiro andar, viçoso, apetitoso, cinzelado por escultor exímio, com tudo no sítio, bom como o milho. Quem se não lembra da fábula da raposa e das uvas? Quando viu que não conseguia chegar-lhe para as comer disse: «afinal não estão como as imaginei ao princípio, estão estragadas, estão verdes». Eu digo o mesmo do torrãozinho do primeiro andar.
Podiam ter feito mil e uma coisas, coisas inimagináveis, é verdade, mas os cinco amigos, o António, o Hugo, o Leonel, o Portugal e o Filipe preferiram calçar os ténis, vestir os calções, e o fato de treino da pastelaria «Papas & Bolos», e aí vão eles, de cara alegre, felizes, participar em mais uma corrida de estrada, desta feita, a 4ª Corrida São Domingos de Benfica.
O ponto de encontro foi junto ao portão de entrada do jardim zoológico às nove da manhã. A ideia de partir dali não podia ter sido melhor. Pelo menos os corredores não foram encurralados, como carneiros, na partida, como aconteceu em anos anteriores. Além disso, direccionando os sentidos para o interior do jardim, podiam sentir o odor e ouvir o alarido dos animais, o que é deveras agradável, que a esta hora da manhã já deviam ter tomado o pequeno-almoço. Aqueles que não têm os sentidos bem apurados, podiam imaginar uma águia a crocitar, uma cobra a sibilar, um urso a bramir, uma raposa a regougar, um leão a rugir, um elefante a urrar, um lobo a ulular, um macaco a guinchar, e por aí adiante. Que linda orquestra! Que magnífica sinfonia! Ouçam! Ouçam! Deixem-se levar embalados nesta melodia. Não é lindo? Que maravilha!
Às dez e meia começou a corrida. Os cinco amigos lá foram no meio da multidão, correndo cada um ao seu próprio ritmo. No final estavam todos satisfeitos com o convívio, com a camaradagem desportiva, com o prazer de correr, e, claro, com o resultado, ainda que modesto, excepção feita ao Hugo que arrancou um excelente resultado: Leonel: 41m 53s; António: 47m 08s;
Para alguns esta foi a primeira prova do ano. Dez quilómetros para a corrida interna é pouco, mas grão a grão enche a galinha o papo, não é o que dizem?
Resultados:
86º Hugo Adelino 38'33
155º Leonel Neves 41'53
313º António Fernandes 47'17
540º Paulo Portugal 53'51
735º Filipe Ramalho 1h04'35
Por equipas: 28º em 47 classificadas

3 comentários:

Carlos Lopes disse...

Parabens ao Grupo

joaquim adelino disse...

Parabéns a todos os Amigos que estiveram presentes.
Um elogio ao Hugo pelo bom resultado, ele está a voltar depois de uma longa ausência.
Uma saudação ao Leonel pela sua excelente Crónica em torno de mais uma prova, um hábito que está enraizado e que nos deixa orgulhosos.

Anônimo disse...

Olá,

Cheguei a este blog através de uma busca no Google!!! Eu era o fotografo que ia de moto e podem ver as fotos em: http://picasaweb.google.com/pedestralfotos/IVCorridaSDomingosDeBenficaArtzoidHotmailCom#

Abraços e não esquecer que para o ano há mais!!!:))))