quarta-feira, 3 de março de 2010

Costa Caparica

Na Costa da Caparica, onde a Corrida do Atlântico decorreu, em vinte e oito de Fevereiro, o dia acordou cinzento. Do mar chegava uma brisa amena. Pouco a pouco o cinzento do céu passou a escuro como breu. Ao longe, a este da Caparica, um relâmpago ziguezagueou rasgando as entranhas da abóbada celeste. Trovejou uma e outra vez. Os deuses deviam estar zangados. No espírito dos corredores adejava uma ideia: será que o São Pedro vai enviar alguma chuvinha? Cerca das nove horas tiveram a confirmação. Começaram a cair pequenas gotículas de água que foram engrossando progressivamente e caindo com mais intensidade. Apesar da chuva e da aragem que se fazia sentir, não estava muito frio.

Os atletas aguardavam dentro das viaturas e debaixo das varandas dos edifícios que a chuva cessasse para se equiparem e fazerem o aquecimento. Alguns corredores desafiaram a chuva fazendo o que tinham de fazer; outros, estavam renitentes, não queriam sujar os ténis, nem molhar o pelo. Entrementes aparece, do lado do mar, encaminhando-se para terra, uma aberta, e a chuva, alguns minutos depois, deixou de cair. Timidamente o sol teimava em aparecer, mas logo se escondia atrás duma nuvem.

Às dez horas e dois minutos foi dado o tiro de partida. Segundo a organização estavam inscritos mil e duzentos atletas. O percurso sofreu alteração. Este ano, penso que pela primeira vez, a prova passou pelo paredão junto ao mar, o que foi muito agradável. É certo que foi aqui que o vento, de frente para os atletas, mais se notou, mas a incomparável beleza do mar que foi possível contemplar, compensou de longe, o esforço a mais que foi exigido por causa do vento.

Colectivamente a nossa equipa obteve um excelente 3º lugar, tendo em conta que alguns dos craques não estiveram presentes, e que participaram na prova 73 equipas. Individualmente os resultados também foram muito bons, independentemente do tempo que cada um levou a chegar ao fim, e do lugar na classificação. Todos deram o seu melhor, como sempre, aliás, e, quem dá o que tem, a mais não é obrigado, como diz o ditado.

texto de Leonel Neves

Classificações

8º João Inocêncio 35'04
11º Pedro Arsénio 35'34
18º Luis Santos 36'26
92º Leonel Neves 40'47
209º José Moga 44'05
214º Fernando Avelino 44'14
270º António Fernandes 45'20
461º José Pereira 49'06
492º Hernâni Monteiro 49'42
611º Joaquim Gomes 52'15
755º Luciano Tomas 55'04
786º Afonso Pinto 55'55
845º Ricardo Nicolau 57'41
869º Emílio Gomes 58'35
899º Diogo Martins 59'27
chegaram 1037
POR EQUIPAS: 3º em 73 equipas classificadas

4 comentários:

joaquim adelino disse...

Parabéns a toda a equipa e também ao autor da escrita que faz uma descrição bonita dessa manhã de dia 28 de Fevereiro na Costa da Caparica.
Abraço.

Anônimo disse...

Parabéns.Amigo Leonel estás feito um grande "escritor"..
Parabens a tida a equipa pelo brilhante desempenho.Um abraço
António Fernandes

António disse...

Parabens aos intervenientes e um abraço ao autor do texto pelo desempemho na prova e pelo que nos transmitiu.

Anônimo disse...

Meus amigos buenas tardes
Como sabem ando a treinar para a Maratona ,hoje levei uma grande sova do amigo Rui Pacheco ,´foi só 32 km até fiquei com a ????? enchada

Saludos Luis Lopes